TDC 2014, Edição Paulista do The Developer’s Conference começa hoje, com 245 palestras

Evento voltados a desenvolvedores de quaisquer linguagens ou plataformas entra em sua 8ª edição em São Paulo, com 35 trilhas temáticas e 245 palestras, incluindo desenvolvimento de Games - Por Kao Tokio

Criado com o propósito de unificar as ‘tribos’ de códigos diferentes, o The Developer’s Conference, ou TDC, evento que teve início em 2008 e acontece anualmente em São Paulo e Florianópolis, inicia hoje sua edição paulista 2014, com 35 trilhas temáticas e 245 palestras, que abordam do Cloud-Computing aos Games e da Internet das Coisas à Tv Digital, passando por inúmeros outros assuntos, que interessarão experts e noobies em programação.

O Play’n’Biz conversou rapidamente com Maurício Tadeu Alegretti, empreendedor na área de tecnologia, diretor de tecnologia da desenvolvedora Smyowl e um dos fundadores do Portalxbox, e Pollyana Notargiacomo Mustaro, professora e pesquisadora do núcleo FISAPETS – Ferramentas de Interação e Simulação Aplicadas aos Processos Educacionais, Tecnológicos e Sociais da Universidade Presbiteriana Mackenzie, profissionais diretamente envolvidos com a realização do evento, para saber detalhes sobre a trilha de games, que acontecerá no próximo sábado, dia 09 de agosto. Confira as principais informações.

Maurício Alegretti e Pollyana Mustaro

Maurício Alegretti e Pollyana Mustaro

Play’n’Biz – Qual a importância de realizar esta edição do TDC? A que público se volta esse projeto?
Maurício Tadeu Alegretti – O TDC é um evento que tem uma importância muito especial ao juntar todas as “tribos” e comunidades de desenvolvedores, independente das suas tecnologia e plataforma de preferência. Então, temos em um mesmo dia palestras que vão do Java às tecnologias da Microsoft e Google, convivendo de forma harmoniosa. E desde 2011 temos todos os anos uma trilha dedicada exclusivamente ao desenvolvimento de jogos eletrônicos, demonstrando o quanto este mercado está amadurecendo no Brasil.
O público-alvo do TDC são desenvolvedores, profissionais ou não.
Pollyana Notargiacomo Mustaro – O TDC, ainda mais na trilha Games, tem um papel também em relação à permitir profissionais em formação ou já no mercado tomar contato com o universo de desenvolvimento de jogos. Isso porque também tem crescido o número de estudantes inscritos e também porque, como vem sendo discutido entre academia e indústria, ainda temos um longo percurso de formação de profissionais para atuação nesta área, que vem crescendo de forma significativa no mercado nacional.

P’n’B – Os desenvolvedores nacionais parecem prontos para ingressar em um patamar de produção mais profissional, a exemplo do empreendedorismo internacional?
MTA – Sem sombra de dúvida. Uma prova disto é a própria evolução da trilha de games no TDC, que nos primeiros anos tinha um caráter mais introdutório e “hobbyista”, e nos últimos dois anos passou a ter um nível bem mais avançado de conteúdo mesclado às palestras para quem está começando. Já temos hoje diversos exemplos de empresas e profissionais brasileiros que vêm se destacando no mercado internacional.

P’n’B – Algumas palestras falam diretamente sobre engines, sistemas como SDK, Unity etc. Esse conhecimento ainda é escasso para os desenvolvedores do Brasil?
MTA – Hoje vemos que os desenvolvedores estão se capacitando cada vez mais, e isto inclui conhecimentos sobre as engines. Por outro lado, as engines atuais oferecem tantos e tão interessantes recursos para criar desde um projeto do zero quanto aprimorar o conhecimento de quem já trabalha com eles, que tenho certeza que desenvolvedores de todos os níveis ficarão muito satisfeitos com estas palestras também.

P’n’B – Quase nenhuma palestra na trilha de games fala sobre questões ligadas aspectos administrativos e ambiente de negócios para games, temas sempre importantes em se tratando das dificuldades nacionais. Há um motivo para esse recorte?
MTA – Montar a grade de um evento como o TDC é sempre um grande desafio, pois apesar de ser um evento com grande apelo técnico, conteúdos como este que você citou são extremamente importantes em qualquer trilha. No caso específico dos games então, o desafio é ainda maior pela multidisciplinaridade que a produção de jogos exige, e o fato de grande parte dos atendentes, imaginamos, pensem em montar seus próprios estúdios e startups. Se tivéssemos trilha de games nos cinco dias de conferência, com certeza ainda faltaria tempo e espaço para algum assunto!
Sendo assim, mesmo com o apelo inicial técnico, procuramos adicionar conteúdos relevantes para o empreendedorismo, como a palestra de Danilo Parise da empresa Sioux com dicas e truques sobre a publicação de jogos.

P’n’B – Tendo sido realizada por 7 anos seguidos, qual a contribuição da Conferência que vocês enxergam para os profissionais ao longo desse tempo?
PNM – Ela configura uma nova fase no cenário brasileiro dos eventos de TI, que busca agregar várias comunidades e aposta na interatividade. O Brasil possui desenvolvedores criativos e profissionais competentes e o TDC pode criar uma maior proximidade entre diferentes mentes criativas.
MTA – O TDC tem em seu DNA a vocação para a interação de profissionais de indústrias e comunidades diferentes, e isto se traduz em uma oportunidade fantástica para networking entre todos os participantes. Temos histórias incríveis de pessoas que atenderam as edições anteriores da trilha de games e lá conseguiram não apenas inspiração, mas formaram times e em alguns casos até conseguiram oportunidades de trabalho. Então, espero encontrar vocês por lá!

O The Developer’s Conference acontece de 05 a 09 de agosto de 2014 e a grade com as palestras pode ser encontrada diretamente no site, em TheDevelopersConference.com.br.

TDC 2014
São Paulo, de 05 a 09 de Agosto de 2014
Horário: 08:00 às 19:00h
Local: Universidade Anhembi Morumbi
Endereço: Rua Casa do Ator, 275 – Vila Olímpia

Sobre Kao Tokio
Editor de conteúdo do site Play'n'Biz - Pesquisador de novas mídias e entretenimento digital como linguagem e expressão da cultura contemporânea

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*



*