Games for Change volta em quarta edição no Brasil com chamada para Pitching de Projetos

Evento que discute formas de aprimoramento socioeducativo com games capitaneado no Brasil por Gilson Schwartz, da USP, volta este ano com novidades e conteúdo exclusivo para aproximar pesquisadores, criadores de jogos e investidores - Por Kao Tokio

O Games for Change é um dos grandes acontecimentos globais voltados a discutir o jogo e suas interações lúdicas com foco no campo do desenvolvimento humano e aprimoramento socioeducativo, que completa 10 anos de ação pelo mundo a partir da matriz norte-americana, sediada em Nova York. Este ano o evento acontece nos próximos dias 06 e 07 de dezembro, com grade de atividades recheada de iniciativas e em novo endereço, aproveitando as instalações do campus Marquês de Paranaguá da PUC, em São Paulo. O evento é realizado pela G4C América Latina em parceria com a Cidade do Conhecimento (USP), Fórum de Competitividade IoT Brazil e Broota Brasil.

Gilson Schwartz

Gilson Scwartz

Para Gilson Schwartz, responsável pela iniciativa no Brasil desde sua primeira versão, há 4 anos, o G4C é um movimento ainda no início mesmo nos EUA, mas que propõe uma mudança de posturas frente à linguagem dos games. “No Brasil, entretanto, creio que a relevância é ainda maior, dado o nosso histórico de desigualdades no acesso a educação de qualidade, entre muitos outros desafios de ordem social, política e cultural. Quanto maior o desafio da mudança, mais urgente é mobilizar a criatividade gamer para fazer essas mudanças”, explicou o professor, em bate papo com o Play’n’Biz.

Gilson afirma que, diferente de outras iniciativas também importantes como o SBGames e a Brasil Game Show, voltados para focos mais específicos, o Games for Change faz a diferença em três frentes igualmente relevantes e transformadoras: crítica, financiamento e formação de mercado. “De modo geral, os eventos sobre games deixam em segundo plano uma visão crítica do game e da indústria cultural. O Festival tem sistematicamente oferecido mais espaço para a crítica consistente e construtiva quanto a impactos dos games na saúde, na educação e na consciência social. Vem portanto somar, contribuir para o amadurecimento da nossa comunidade de designers, realizadores e publishers”, analisa. “Com relação a financiamento, creio que somos o primeiro polo a trabalhar ativamente pela ampliação do financiamento à produção via mercado, com a parceria neste ano da Broota Brasil. Nunca antes na história da cena gamer brasileira uma entidade organizou um pitching diretamente conectado a uma plataforma de ‘equity crowdfunding‘”, continuou, destacando a visão crítica da iniciativa, que busca não apenas através de ações com o governo ou agências públicas de fomento à pesquisa e inovação contribuir para a expansão do mercado de games com propósitos e conceito.

O grande diferencial do projeto talvez seja, no entanto, a oportunidade de levar as iniciativas de desenvolvedores a outros canais de produção e distribuição de projetos, com foco nos negócios, como enfatiza o diretor do evento: “A G4C representa um canal direto de interação com o mercado internacional, ou seja, tem um viés B2B e não apenas B2C e oferece aos desenvolvedores uma via de acesso à rede mundial G4C. Resumo da ópera: a G4C é diferente e faz diferença, complementa os eventos existentes e contribui para a expansão e a legitimação dos games como objetos tecnológicos, culturais e sociais complexos, transformadores e inspiradores”, finaliza.

As inscrições para o simpósio podem ser realizadas até o próximo domingo, dia 30/11, e custam R$ 100,00. Para participar do Pitching com Investidores, e ter acesso livre para o evento, é preciso inscrever-se pelo site da parceira Broota. As oficinas para conceitos de gamificação e “internet das coisas”, podem ser acessadas para inscrição por meio deste outro link, e as inscrições podem ser realizadas também através do sistema Pague Seguro.

Abaixo, segue a grade de programações dos dois dias do encontro:

Dia 6
[Manhã] Cultura Digital e Saúde Individual, Coletiva, Pública e Socioambiental
Com Marcelo de Vasconcellos (Fiocruz), Helena Morgani (Medicina, USP), Alexandre Brandão (UFSCAR)
[Tarde] Edugamificação e Criatividade Tecnológica
Com Alexandre Sayad (MEL, Gelly Jam), Tiago Maluta (ProgramaÊ!, Fundação Lemann), Carla Zeltzer (FazGame), Maurício Cardoso (Diversitas, História, FFLCH, USP)
[Noite] Criptomoedas Digitais, Internet das Coisas e a Economia Política dos Games + Festa
Com José Roberto Amazonas (POLI, USP), Diego Viana (Diversitas, FFLCH, USP), Julio Lucchesi (Cidade do Conhecimento/Iconomia, USP), Zilda Iokoi (Diversitas, FFLCH,USP)
Debate no Auditório : “Game Party Surpresa” no Campus

Dia 7
[Manhã] Videogames, Aprendizagem e Memória
Com Ricardo Nakamura (POLI, USP), Joanne Garde-Hansen (University of Warwick), Karen Worcman (Museu da Pessoa)
[Tarde Gamificação na Internet das Coisas
Com Romero Tori (CEST, POLI, USP), Edison Spina (POLI, USP), Leandro Andrade e Victor Hugo Batista (iRIOT, USP), Frederico Rizzo (Broota Brasil)
Ensino de Game Design para Mudança: Jogos Sérios, Simuladores e Transmídia no Ensino Brasileiro (Ensino Técnico, Graduação e Pós-Graduação)
Com Luiz Carlos Petry (PUC-SP), Luiz Almeida (UNITAU), Gilson Schwartz (Games for Change, USP)

Oficinas
(Dias 6 e 7, manhã e tarde)
Lab 01 – Programação de Games e Apps (ProgramaÊ!, Fundação Lemann) – 100 vagas
Lab 02 – Programação de Games e Apps IoT (Ubidots, Colômbia) – 100 vagas
Lab 03 – Game Design em Sala de Aula (FazGame, Brasil) -100 vagas
Sala de Estudos da Biblioteca – Game Design: Criação e Produção de um Protótipo Analógico (LIDET, USP) – 50 vagas (somente no sábado, oficina inclui manhã e tarde)

Pitching e Posters
(Dias 6 e 7,manhã e tarde)
Sala 01 – Ocupações Pedagógicas na Internet Brasileira – Relatos de casos de uso de games, robótica, 3D printing, redes sociais e outras tecnologias na transformação da aprendizagem (prioridade para projetos e experiências no ensino fundamental e médio, aberto a posters de professores, técnicos de informática e alunos). Seleção por meio de Chamada Pública. Premiação dos melhores por voto popular e Comissão Julgadora.
Sala 02 – Redes Sociais e Games for Change
Sala 03 – Pitching “Games e Apps Gamificadas para a Internet das Coisas”
Iniciativa  em parceria com o Fórum de Competitividade em Internet das Coisas  – Forum IoT Brazil e Broota Brasil, com streaming restrito para investidores. Seleção por meio de Chamada Pública. “Mentoring” e “equity crowdfunding” serão oferecidos aos projetos selecionados nas categorias ideia/semente, projeto/incubação, protótipo/aceleração por uma Comissão Julgadora. Os projetos podem ser em regimes com ou sem fins lucrativos, propriedade intelectual privada, aberta ou de domínio público, apresentada por pessoa física ou jurídica desde que residente na América Latina. A programação acomodará até 50 projetos com “pitching” de 10 minutos + 5 minutos de arguição.

Games for Change 2014
Local: PUC-SP – Campus Marquês de Paranaguá
Endereço: Rua Marquês de Paranaguá, 111 Consolação – São Paulo – SP
Site: http://gamesforchange.org.br/iv-festival-games-for-change-america-latina-gamificando-a-internet-das-coisas/

G4C 2014

Sobre Kao Tokio
Editor de conteúdo do site Play'n'Biz - Pesquisador de novas mídias e entretenimento digital como linguagem e expressão da cultura contemporânea

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*



*