VGL encerra 2014 com a contagiante apresentação de Tommy Tallarico e a excelência musical da Orquestra Villa Lobos

Programação artística realizada pela empresa Conexão Cultural há nove anos no país, o evento trouxe clássicos como Halo e God of War, além de trilhas hilárias como "I'm still alive" e "Earthworm Jim" - Por Kao Tokio

“Algumas pessoas pensam que videogames são apenas para as crianças… Algumas pessoas pensam que tocar músicas de videogame não é mais do que fazer um punhado de simplórios ‘blip-blip-blip’… E alguns pensam que os games são a causa da violência […] Mas esta noite vamos provar para o mundo o quão cultural e artisticamente significativos os games se tornaram e porque se tornaram a escolha de entretenimento do século 21!”, assim iniciou-se a 9ª edição do Video Games Live, com um discurso no qual seu mentor e frontman, Tommy Tallarico, enfatizou a importância dos games para a cultura contemporânea, como linguagem artística e fenômeno mundial.

Tommy Talarico

Tommy Tallarico

Mais uma vez, Tommy desembarcou no país trazendo o espetáculo musical VGL e seu arcabouço de trilhas magistralmente elaboradas para os jogos digitais. Se você é fã de boa música (mesmo não sendo gamer) não podia ter perdido essa programação. O Play’n’Biz acompanhou a realização do memorável show no Teatro Bradesco e explica porque, como afirmou o artista, os games são a face mais dinâmica do panorama cultural da atualidade.

Acompanhado pela sempre competente Orquestra Villa Lobos, conduzida com brilho e sensibilidade pela batuta de Eimear Noone, Tommy desfilou um set de 18 músicas e duas saideiras, com energia e muito bom humor. Entre as composições mais belas e bem arranjadas, o público deleitou-se com os temas de Chrono Trigger, Halo, Journey e Metal Gear Solid, mas a apresentação abriu espaço para composições divertidas e inusitadas como o engraçadíssimo tema de Earthworm Jim, I’m still alive e uma experiência coletiva de Super Mario Bros. à capela, com direito a mobiles iluminados levados ao alto, da mesma forma como a plateia levantava  isqueiros nos shows de rock em décadas passadas.

Eimar Noone pegando a 'batuta' Windwaker

Eimear Noone pegando a ‘batuta’ Windwaker

O público respondeu com entusiasmo, eufórico a cada nova música anunciada ou já nos primeiros acordes de cada melodia. Além da magnética presença de Tallarico, que mostrou mais do que virtuosismo técnico, verdadeira performance de entertainer, e da maestro da Blizzard, o público presente ainda acompanhou o desempenho da cantora lírica Jillian Aversa, responsável por belíssimos momentos do show, interpretando canções The Tetris Opera e God of War, entre outras, bem como uma singular melodia para Tetris, rearranjada exclusivamente para o show, com acompanhamento do coro de vozes, que exibiu igual domínio técnico e qualidade musical em vários momentos da apresentação.

VGL Singer

Jillian Aversa

Simpático e bem humorado, o inquieto idealizador do VGL fez questão de cumprimentar o público, em uma mesa para autógrafos e fotos, ao lado das damas com quem dividiu o palco. A noite no suntuoso Teatro Bradesco foi de descontração, mas perfeita na realização geral e nos detalhes. Nesse sentido, o empenho da empresa Conexão Cultural, responsável pelos 9 anos de espetáculos do Video Games Live no Brasil, e o profissionalismo com que Thiago Adamo (também conhecido como PXLDJ) e Nino MegaDriver conduziram a produção são evidências que o Brasil está preparado para grandes eventos e em sintonia com programações culturais diversas, que alinhem qualidade e entretenimento.

Plateia VGLDurante o show, Tallarico informou com grande empolgação que a campanha de arrecadação de fundos para o próximo álbum do projeto, Level Four, acaba de ser conquistado e exaltou a participação dos brasileiros, a quem fez um agradecimento especial: “No ano passado, nós fizemos um Kickstarter para o nosso terceiro álbum, Level Three, e ninguém acreditou no projeto… Fui a gravadoras, executivos de estúdios, investidores…Ninguém queria nos dar dinheiro [e diziam] ‘Ah, não, você sabe, é muito caro gravar com uma grande orquestra, e os jovens vão roubar a música de qualquer jeito, ninguém vai comprar, e blá-blá-blá’. Eu não acreditei neles e disse ‘vão se ferrar, vocês e a gravadora!’ e comecei o Kickstarter através da página do Facebook e juntamos o dinheiro para o terceiro álbum […] e eu preciso lhes dizer que o Brasil foi o segundo país em quantidade de doações!”.

VGL UnchartedCom o resultado inquestionável de alta qualidade e performance observado este ano, resta desejar que os responsáveis pelo projeto idealizem outras criações do gênero. Público, certamente, não faltará.
Em Tempo: Àqueles que perderam a apresentação, as melodias conduzidas no evento podem ser apreciadas nesse link http://soundcloud.com/kao-tokio/sets.

O Play’n’Biz esteve no evento a convite da Conexão Cultural, empresa responsável pelas nove apresentações nacionais consecutivas do projeto nos últimos anos.

VGL The End

Sobre Kao Tokio
Editor de conteúdo do site Play'n'Biz - Pesquisador de novas mídias e entretenimento digital como linguagem e expressão da cultura contemporânea

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*



*