Bora Programar: sites internacionais dão dicas ao desenvolvedor nos primeiros passos em programação

Precisa aprender a programar mas não sabe por onde começar? O sites internacionais apresentam artigos com informações importantes para o iniciante em programação ou que pretende dar o passo decisivo e escolher uma linguagem para começar. Mãos à obra! - Por Kao Tokio

A demanda por profissionais de programação é cada vez maior em todas as áreas e não é diferente na produção de games, que demanda a necessidade de bons técnicos e gente antenada na realização de programação e codificação, com qualidade e resultados efetivos. O aprendizado de uma ou mais linguagens de programação não está entre os conteúdos mais fáceis de ser absorvido pelo público médio e, não raro, faz-se necessário um grande empenho do interessado para dominar estes conhecimentos.

Para orientar os candidatos ao código bem feito, o Play’n’Biz realizou um breve levantamento com opiniões de sites especializados, para apresentar as formas introdutórias mais razoáveis (ou menos traumáticas!) de aprender e dominar estas linguagens.
Com foco e determinação, qualquer interessado esforçado poderá, em algum tempo, realizar as primeiras façanhas digitais e surpreender-se com o aprimoramento pessoal conquistado.
Veja as opiniões dos articulistas e não perca tempo. O mercado está aquecido e os ganhos são extremamente convidativos.

GameDev Programmer - Udemy

Imagem: Udemy.com

Drag and Drop – As bases da Programação
Esta é a primeira dica de Lisa Eadicco, do site Business Insider. Embora não seja efetivamente uma programação, a articulista afirma ser esse um excelente caminho na compreensão das lógicas de programação, permitindo que você construa o código, arrastando e soltando blocos ao invés de escrever manualmente o código. “Isso torna mais fácil compreender as noções básicas de programação sem se envolver na alocação meticulosa de caracteres”, explica Hadi Partovi, co-fundador do site Code.org. “Uma vez que tenha aprendido os conceitos básicos usando arrastar e soltar, você vai querer aprender imediatamente como fazer a coisa de verdade”, disse Partovi ao site Business Insider.
Bons programas com essa técnica, sugeridos pela autora, são o Scratch, do MIT, Code Studio, do site Code.org e o programa Google Blocky.

Python – Linguagem para começar
Python é uma linguagem de alto nível para sites e aplicativos móveis, considerada bastante acessível para iniciantes em razão de sua legibilidade compacta e sintaxe, através da qual os desenvolvedores podem usar menos linhas do que usariam em outras línguas de código para expressar um mesmo conceito. Associada ao framework Django, a linguagem responde pela manutenção de serviços online como Instagram, Pinterest e Rdio, entre outros, além de ser usada também nos sites do Google, Yahoo! e NASA.
“Python é uma linguagem fácil para iniciantes porque há menos de uma ênfase na sintaxe”, avaliou Partovi, no já citado artigo do site Business Insider. “Se você esquecer os parênteses ou perder alguns pontos e vírgulas, isso não deve te atrapalhar tanto quanto aconteceria se você estivesse codificando em um idioma diferente”.
“Python não começa exatamente com o básico, mas ensina algumas coisas úteis, como indexação, modularidade e a importância de convenções de nomenclatura, que vão ajudar você como você a aprender e trabalhar com outras línguas”, informa o site Life Hacker, que esclarece ainda que o Python é normalmente identificado como uma linguagem de script, permitindo aos programadores produzirem grandes quantidades de código de leitura fácil e funcional em curtos períodos de tempo.

Java – Para pensar como um programador
Java é uma das linguagens mais longevas, robustas e atuais do mercado. Criada em 1991 por James Gosling, o sistema se encontra em inúmeras aplicações plataformas, sistemas operacionais e dispositivos, dentro e fora da web. “Por essa razão, é também uma das linguagens de programação mais populares do mundo, o que torna incrivelmente valioso, se você estiver interessado em aprender a programar”, afirma Alan Henry, no site Life Hacker. O autor comenta, no entanto, que o outro lado da moeda é que com todo o seu potencial de portabilidade e aplicabilidade, o Java pode ser bastante difícil de entender, e mais difícil de programar de forma eficaz e eficiente. O esforço, porém, pode valer a pena, já que essa ‘dificuldade’ é, na verdade, uma forma de fazer o aprendiz a pensar de forma lógica, isto é, como deve funcionar um progarma, evitando erros e bugs. “Java é uma linguagem utilizada para desenvolver aplicativos de nível empresarial e games”, afirma Kasia Mikoluk, do site Udemy. “O Java tem um enorme mercado de trabalho com incentivos muito atraentes”, esclarece.
A linguagem é orientada a objeto, isto é, uma forma de programar mais próxima de como faríamos as coisas na vida real, com elementos [os objetos]que possuem estado e comportamento.

Ruby e Ruby on Rails – Aprenda em 20 minutos
Ruby é uma linguagem open-source dinâmica, orientada a objetos e desenvolvida pelo cientista da computação Yukihiro Matsumoto nos anos 90. Embora com nomes parecidos, Ruby é a linguagem, enquanto Ruby on Rails é uma ferramenta que faz com que seja fácil de usar a linguagem Ruby para construir websites, algo que pode levar a alguma confusão inicial. O linguagem foi projetada para ter uma sintaxe fácil de ler e escrever, mesmo para iniciantes, que não precisarão necessariamente aprender uma enorme  base de comandos e um vocabulário especializado para começar a programar, sendo relativamente fácil de aprender. De fato, no site oficial encontra-se um guia de início rápido que não leva mais de 20 minutos para estabelecer os princípios básicos da programação com a linguagem.
Ruby on Rails, por sua vez, é um framework de desenvolvimento web utilizado em inúmeros sites de renome, como Scribd, Yammer, Shopify e Groupon, entre outros.
“Rubi também tem um bom mercado de trabalho e desenvolvedores Ruby estão sendo pagos decentemente no momento”, indica Kasia, do Udemy.

PHP – Programando para a Web
Mais voltada às aplicações online, o PHP (Hypertext Preprocessor) é uma das línguas mais utilizadas para desenvolver sites dinâmicos.
PHP é uma linguagem de código aberto, o que significa que existem milhares de módulos já construídas que podem ser modificados para atingir a funcionalidade desejada. Além disso, PHP é fácil de aprender. “Você simplesmente tem que inserir o código HTML”, indica o texto do site Udemy. “E existem centenas de plataformas PHP disponíveis, tais como Joomla, WordPress e Drupal, que lhe permitem desenvolver websites de forma ainda mais conveniente”, relata. “PHP é uma linguagem de uso geral e vem como padrão na maioria dos servidores web”, descreve o texto do site MakeUseOf, assinado por James Bruce. “Se você já ouviu o termo MAMP / WAMP / LAMP, o P geralmente significa PHP (o resto é Windows / Mac / Linux, Apache e MySQL)”.
Este texto não finaliza por aqui.

Outras linguagens mais poderosas e voltadas também ao design de games (mas, em contrapartida, menos fáceis de aprender!) ainda serão apresentadas em um novo texto. O mais importante é encontrar uma ferramenta com a qual o interessado se sinta a vontade para começar e manter o foco, na certeza de poder superar o bloqueio inicial e aprender a realizar suas próprias criações.
Os bons resultados não demorarão a aparecer!

Sobre Kao Tokio
Editor de conteúdo do site Play'n'Biz - Pesquisador de novas mídias e entretenimento digital como linguagem e expressão da cultura contemporânea

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*



*