Com SPCine, games podem finalmente entrar no panorama das ações públicas de Cultura em São Paulo

Cerimônia inaugural da iniciativa municipal de incentivo à cultura audiovisual contou com a presença de autoridades e Abragames, que participa do projeto com uma cadeira no conselho consultivo do programa - Kao Tokio

A noite de quarta, dia 28 de janeiro teve um toque de entusiasmo e vitória para a parcela paulistana de desenvolvedores de games, com a realização da cerimônia de inauguração da SPCine, empresa de Cinema e Audiovisual de São Paulo, que conta com a parceria do Governo do Estado e do Ministério da Cultura. Pela primeira vez uma iniciativa do gênero inclui a linguagem dos games como uma das expressões audiovisuais a serem contempladas com propostas de fomento na capital paulista e a presença de uma personalidade ligada diretamente a este meio como conselheiro consultivo para as determinações na área. O evento contou com a presença de autoridades ligadas às artes e cultura e muitos desenvolvedores de jogos que há tempos aguardavam a concretização dessa política local.
Em conversas com o Play’n’Biz em outubro de 2014, Eliana Russi, Gerente Executiva do Projeto Setorial de Exportação Brazilian Game Developers, projeto da Abragames em parceria com a Apex-Brasil, já havia indicado a possibilidade de contar com uma cadeira exclusiva para a área de games no conselho do SPCine, embora as tratativas estivessem apenas no início. À ocasião, Eliana informou que as conversações com os representantes da Secretaria da Cultura de São Paulo vinham se mostrando muito receptivos à ideia, incentivados pelo então secretário Juca Ferreira, hoje reempossado minitro na pasta no governo federal. Apesar de se configurar como a primeira formalização da presença ose games em uma iniciativa paulistana, a produção de jogos digitais já havia sido incluída em um edital de setembro de 2013, ainda que outras linguagens audiovisuais encontrassem mais facilidade para apresentar suas propostas.
O novo órgão, inaugurado na Praça das Artes na região central da capital, pretende atuar como um escritório de desenvolvimento, financiamento e implementação de programas e políticas para os setores de cinema, TV, games e web, voltado a reconhecer e estimular o potencial econômico e criativo do audiovisual paulista, bem como o impacto desta produção em âmbito cultural e social. Segundo dados apresentados na cerimônia do lançamento do programa, a ação conta com o investimento inicial de R$ 65 milhões, sendo R$ 25 milhões da Prefeitura, R$ 25 milhões do Governo do Estado e outros R$ 15 milhões da Ancine. Entre as autoridades presentes, estiveram o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel, Marcelo Mattos Araújo, secretário de estado da Cultura, Nabil Bonduki, vereador e recém nomeado secretário municipal de Cultura, Guilherme Varella, gestor cultural, Nunzio Briguglio, secretário municipal de Comunicação e Juca Ferreira, ministro de Estado da Cultura, para quem São Paulo tem um papel fundamental no desenvolvimento cultural no país. “Precisamos que São Paulo assuma a sua posição cultural no Brasil”, afirmou em pronunciamento de abertura do evento.

Eliana Russi - Abragames

Eliana Russi – Abragames

A área de games passa a ser reconhecida dentro dessa estrutura por meio do SP Bits, um conjunto de programas e ações da SP Cine para o mercado de games e cultura digital. “O Brasil é um dos maiores mercados consumidores de jogos eletrônicos do mundo e, por este motivo, a SPCine quer estimular a produção nacional, incentivando o debate e implementando linhas de financiamento específica para impulsionar o desenvolvimento criativo e econômico da área”, afirma o comunicado de criação da empresa paulistana. Para Eliana Russi, também presente ao evento, a iniciativa é mais que bem vinda: “Se o setor crescer todo mundo ganha”, afirmou ao Play’n’Biz. A gestora de programas de fomento da Abragames declarou ainda que “há muita coisa bacana acontecendo [para a área de games no Brasil] e precisamos cuidar do setor”. Esta presença dos games no conselho vem em um momento oportuno, junto com a indicação de Thiago di Freitas, da Kokku Games de Pernambuco, como representante no CNIC, Comissão Nacional de Incentivo à Cultura, do MinC, novidade também já aguardada há alguns meses pela associação, que havia sido indicada em uma seleção prévia do CNIC, em setembro de 2013.
Apesar dos reveses na economia nacional e das perspectivas pouco promissoras do início do ano, as mudanças no ministério da Cultura e o pensamento vanguardista de certas vertentes políticas como a criação do SPCine ou do governo do Rio Grande do Sul, mostram que a economia criativa oferecida pela produção de jogos digitais pode ser um diferencial bem vindo nesta fase crítica do país.

Cerimônia do SPCine na Praça das Artes, em São Paulo

Cerimônia do SPCine na Praça das Artes, em São Paulo

Sobre Kao Tokio
Editor de conteúdo do site Play'n'Biz - Pesquisador de novas mídias e entretenimento digital como linguagem e expressão da cultura contemporânea

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*



*