Professor de Escola Técnica usa game Farm Ville para ensinar Administração aos alunos, com bons resultados

Buscando aproximar os conceitos matemáticos e estratégicos da disciplina de Administração do universo de interesses dos jovens, o professor da Etec de São Paulo desenvolveu uma metodologia própria para utilizar o game Farm Ville para ensinar os alunos. Os resultados, atesta, têm sido excelentes - Por Kao Tokio

Um dos desafios do processo educacional está na tentativa de encontrar a melhor forma de angariar a atenção dos alunos e fazê-los entender os conteúdos das disciplinas, de modo que o aprendizado se torne útil e prático para a vida cotidiana e sirva de base para novos voos na formação educativa e profissional no futuro. Entre as ‘matérias’ de maior dificuldade para os jovens encontram-se aquelas que envolvem lógica e princípios matemáticos, sempre abstratos para um grande números de jovens.

Nivaldo Troiano

Prof. Nivaldo Troiano

Pensando neste problema o professor de Administração Nivaldo Troiano, docente hoje na ETEC Carmosina M. Vianna, em São Paulo, resolveu se aproximar da linguagem dos jovens e desenvolveu um processo educativo utilizando o game online Farm Ville, disponível nas redes sociais. O Play’n’Biz conversou com o profissional para conhecer seu trabalho e os resultados que, afirma o professor, são muito promissores.

Nivaldo começa explicando de onde partiu a ideia de usar o game online para explicar administração para os alunos. “A ideia de utilizar o jogo partiu da necessidade de aproximação professor/aluno, mostrando que os dois fazem as mesmas coisas, como jogar na internet, utilizar as redes sociais e que estas não são coisas apenas de jovens. A minha ideia era mostrar algo além do simples jogar e que, para conseguir um objetivo, precisamos passar por etapas”. Desse pensamento, partiu a ideia de usar um jogo que arregimentasse os princípios necessários para transmitir os conceitos de administração e processos e, para tal, o famoso jogo da ‘Fazendinha’ pareceu-lhe bastante adequado. “Era um jogo pop”, sintetizou o professor. Ele permitia trazer elementos do cotidiano utilizados para lecionar e que já se encontravam presentes no jogo… Foi meio coisa de sociólogo”, explicou com humor o acadêmico, que além de administrador, é também graduado em Sociologia.

Farmville_O começo foi inusitado para os alunos, mas mostrou o pleno potencial educativo da ferramenta, quando direcionada adequadamente para estes fins. “Alguns alunos me questionaram, sobre eu, um professor, estar jogando um ‘joguinho’ de internet, mas eu comecei a explicar que o meu interesse no jogo estava voltado às questões de organização, logística, planejamento e outros conceitos como a construção etapa-por-etapa e mostrar a eles que efetivamente não era um tempo perdido”, afirmou. Em sua percepção, havia muita coisa positiva na estrutura do jogo e sua forma de condução e jogabilidade. “Quem fez o jogo havia pensado nestas questões e aplicado conceitos [de administração] que nós conhecíamos”, indicou. “Uma outra ideia, que é importante ressaltar, é que, mostrando o que eles [os jogos] têm na realidade em paralelo com o que estudamos na Etec, pode haver um ganho em significado no entendimento dos conceitos… Falar sobre coisas em uma linguagem que eles [os jovens] entendem”.

Tela do jogo

Tela do jogo

Para Nivaldo, que não é um apreciador contumaz de games, o perfil de jogos como Farm Ville tem qualidades que vão além da diversão. “O que eu acho importante nos jogos daquele tipo é que você não está competindo para destruir ninguém… você está tentando sobreviver e os outros servem como parâmetro para o seu progresso, pois podem estar mais adiantados ou atrasados, mas você precisa dos outros e eles precisam de você, já que um ajuda o outro com o presente diário”, destaca. “Ao mesmo tempo um pode colher o que você planta, exatamente como acontece na vida. Há sempre uma competição… Precisamos estar atentos, pois até os nossos amigos podem ‘tirar’ coisas de nós”, ressalta, demonstrando questões de ordem sociais que se aproximam da filosofia da vida. Esse, aliás, é um dos grandes aspectos do processo educacional, pelo qual professores como Nivaldo Troiano batalham, estimulando os escolares e pensarem suas vidas e a conduzirem com sabedoria. “Eu sou um professor que procura encontrar outras formas de passar o conteúdos com significado, para melhor compreensão dos alunos e para mostrar que o aprendizado em aulas não está longe do que vivemos em nosso cotidiano.

O professor Nivaldo e uma das turmas de alunos, em 2011

O professor Nivaldo e uma das turmas de alunos, em 2011

Sobre Kao Tokio
Editor de conteúdo do site Play'n'Biz - Pesquisador de novas mídias e entretenimento digital como linguagem e expressão da cultura contemporânea

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*



*